(11) 94061-0628

Dicionário

ABA

Sigla em inglês da análise do comportamento aplicada. Aqui no Brasil, pertence à área da psicologia, sendo a única com comprovação científica para tratamento de deficiência intelectual, e comportamentos diversos.

Acessibilidade

Garantir que pessoas com algum tipo de deficiência utilizem, de forma autônoma e segura, edificações, mobiliário, transporte, comunicação e outras estruturas, objetos e diferentes recursos.

Acessibilidade Digital

Forma de assegurar que pessoas com deficiência usem recursos digitais com igualdade, autonomia e segurança. Para isso, é preciso implementar funções capazes de atender a cada tipo de deficiência.

Adaptação

Adequação de espaços, materiais de comunicação, recursos digitais, mobiliários e outros que tiveram as suas características originais alteradas para que se tornassem acessíveis.

AT (acompanhante terapêutico)

Estudante ou profissional da área da saúde – psicologia, fonoaudiologia, terapeuta ocupacional – normalmente que tenha feito algum curso de certificação em ABA, a qual acompanha a pessoa com deficiência na escola ou em casa, para fazer programas cujo alvo seja o seu desenvolvimento.

Capacitismo

Refere-se à violência ou discriminação praticada contra a pessoa com deficiência, caracterizando-a como incapaz ou inapta para executar as atividades.

CAA (Comunicação Alternativa Ampliada)

Outras formas de comunicação além da modalidade oral, como o uso de gestos, língua de sinais, expressões faciais, o uso de pranchas de alfabeto, símbolos pictográficos, uso de sistemas sofisticados de computador com voz etc.

Deficiência Múltipla

Ocorre quando a pessoa apresenta mais de uma deficiência.

Design Universal

Também chamado de desenho universal, se refere a um ambiente pensado para todos e não pode ficar de fora de um dicionário de inclusão. Dimensões e layouts são desenhados para atender a idosos, gestantes, pessoas com deficiência, e todas as demais pessoas.

Diversidade

Grupo de pessoas com diferenças nítidas, sendo que essas podem ser de raça, religião, orientação sexual, nacionalidade, ou seja, que representem um dos marcadores sociais.

Equidade

Prática que permite que os indivíduos tenham condições diferenciadas de acordo com a sua necessidade para que no final obtenham os mesmos resultados.

Inclusão Escolar

Pode englobar a inclusão social (junto aos colegas de escola da pessoa com deficiência); e inclusão pedagógica (que inclui adaptação de materiais, Plano de Ensino Individualizado, dentre outras ações).

Inclusão Pedagógica

Adaptação de materiais, confecção do Plano de Ensino Individualizado.

Inclusão Social

Depende do contexto. Nós da ONG correspondemos a terminologia para “inclusão de pessoas junto a outras pessoas” (sobre o convívio e amizade que promovemos).

LBI (Lei Brasileira de Inclusão)

Lei nº 13.146/2015.

Necessidades Diferenciadas

Em contrapartida à inadequada terminologia de “necessidades especiais”. A pessoa com deficiência não é especial porque as diferenças devem ser respeitadas (e não diluídas). Elas também têm seus direitos e obrigações.

PEI (Plano de Ensino Individualizado)

Documento elaborado por uma instituição de ensino, contendo metas específicas de aprendizado da pessoa com deficiência de acordo com sua potencialidade.

Pessoa com Deficiência

Terminologia utilizada em contrapartidas àquelas atualmente consideradas como inadequadas, como “portadora de deficiência”, pois ninguém carrega nada, a algum lugar; ou com “doença” porque quando o transtorno/distúrbio/síndrome são permanentes, e sem cura, não há que se falar em doença.

TEA (transtorno do espectro do autismo)

Diagnóstico eminentemente clínico, que se fecha nos termos do DSM V, com critérios de socialização, comunicação, e interesses restritos ou movimentos repetitivos.

Viés Inconsciente

Percepções inconscientes que podem levar a comportamentos e ações preconceituosas e de exclusão.